Principais erros cometidos ao decorar seu ambiente de trabalho

Decorar um ambiente de trabalho, até pouco tempo atrás, costumava ser uma escolha secundária para muitas empresa.

A maioria dos negócios costumavam optar por cores que desfavoreciam o ambiente, ou utilizavam móveis e objetos que não eram funcionais.

Como resultado, as mesmas não conseguiam promover qualidade na jornada de trabalho dos seus funcionários nem chamar a atenção dos clientes.

Mas estamos falando de um tempo atrás. Hoje em dia, um dos fatores que mais mudaram na visão dos empreendedores foi a comodidade, conforto e estética em seus ambientes de trabalho.

Isso, pois um local bonito e confortável pode fazer com que os funcionários fiquem mais motivados, além de também aumentar as chances de um cliente fechar uma compra com sucesso.

E a primeira coisa a se fazer para transformar o local que você trabalha é eliminando alguns erros cometidos na decoração da sua empresa. Quer saber quais são eles? Então vamos te mostrar neste post, por isso, continue nos acompanhando!

1- Muitos objetos decorativos no mesmo local

O primeiro erro que muitos empreendedores cometem é de armazenarem muitos objetos decorativos no mesmo espaço.

Isso acontece por diversas razões: às vezes, surge promoções de novos objetos decorativos, ou até mesmo ganhamos presentes de clientes ou funcionários, entre outros.

No entanto, um local de trabalho muito detalhado pode tirar o aspecto profissional e limpo que muitas empresas almejam ter.

Um dos objetos que mais aparecem nas empresas são quadros de diversos tipos. Apesar de serem ótimos para darem estética no ambiente, em excesso, os quadros podem chamar muita atenção e passar uma visão poluída da empresa.

Por essa razão, é muito importante que os objetos não atrapalhem a visão e nem impeçam a boa circulação do local, mas sim, eles são peças para complementar e tornar o espaço mais sofisticado e elegante.

2- Não acertar na iluminação

Os problemas com iluminação também são muito comuns. Muitas empresas erram em acertar a quantidade de luz dentro do seu ambiente de trabalho.

Por um lado, um local muito iluminado pode deixar o ambiente menos confortável e ainda prejudicar a vista dos membros da equipe e dos clientes a longo prazo.

Já uma empresa com pouca iluminação também gera uma série de dificuldades, como problemas para que os profissionais desenvolvam suas atividades, ou até mesmo promove improdutividade e deixa o ambiente menos elegante.

Se sua empresa atua com a fabricação de envelope de segurança, por exemplo, é essencial que a iluminação esteja sempre adequada. Assim, você consegue valorizar ainda mais o ambiente e também faz com que sua equipe seja mais produtiva!

3- Cores que não combinam

Muitas empresas possuem o sonho de ter uma empresa moderna e colorida. No entanto, sabemos que, se as cores não forem utilizadas da maneira adequada, é possível que o ambiente fique com aspecto menos profissional.

Outro erro também é o de utilizar cores que não fazem parte da paleta de cores da empresa, ou até mesmo que não combinam com os móveis e objetos do ambiente.

Além disso, as cores fortes e vibrantes nas paredes são mais difíceis de serem harmonizadas.

Por isso, uma dica é deixar que as paredes tenham cores neutras ou em tons pastéis, enquanto você pode investir em móveis e objetos coloridos e transmitir a personalidade da sua empresa!

Já se você quer uma empresa ainda mais colorida, você pode utilizar toda criatividade para criar salas de descompressão, por exemplo.

Nesse ambiente, aposte em puffs e paredes coloridas, mesas de jogos, grama sintética decorativa, televisões, e tudo para que seus funcionários possam se sentir ainda mais confortáveis!

4- Móveis grandes e espaços pequenos

O próximo erro é o de não medir o espaço do ambiente, assim como os do móveis e objetos.

Como resultado, o ambiente fica desproporcional, impedindo a boa circulação dos funcionários e clientes, e aumentando a desorganização e poluição no local.

Se os ambientes da sua empresa são pequenos, não deixe de investir em móveis e objetos que se adequam a cada um dos cômodos. Sofás e mesas pequenas também são confortáveis, dependendo da qualidade do próprio produto.

Se você comprar algum móvel ou objeto pela internet, também é importante observar todas as informações relacionadas ao tamanho do produto, para assim garantir que ele esteja dentro das medidas do cômodo.

5- Não seguir um estilo

Com tantas variedades de móveis, objetos e de recursos disponíveis para a compra, é extremamente normal que os empreendedores se confundam na hora de seguir um estilo.

Porém, sem um estilo definido, a empresa pode não conseguir transmitir sua personalidade e ainda obter um visual poluído.

Por essa razão, se você ainda não tem um estilo definido, é o momento de ver o que combina com o perfil da sua empresa!

Atualmente, há diversos estilos de empresas, como o estilo moderno, minimalista, clássico, romântico, rústico, entre outros.

Veja qual o estilo mais adequado para seu ambiente de trabalho e faça projeções para transformar a decoração do seu ambiente.

6- Esquecer da funcionalidade dos recursos

Por fim, outro erro que muitas empresas deixam escapar é o de não dar preferência aos móveis, objetos e equipamentos funcionais.

Pense, por exemplo, que além da estética, o clima refrescante e arejado dentro da organização também é fundamental. Para isso, é importante a utilização de ares-condicionados, domus para telhado, entre outros.

Outra dica é optar por sofás, mesas e cadeiras que sejam funcionais e simples de locomoção. Desse modo, é possível mover com facilidade os recursos. Também opte por utilizar prateleiras e armários, pois eles proporcionam mais organização dentro da empresa.

Por fim, cada mudança deve ser feito de acordo com as necessidades de cada empresa. Dê prioridade para as ações mais emergentes e, ao longo do tempo, você terá um ambiente de trabalho totalmente transformado!

Agora que você já sabe sobre os principais erros cometidos pelas empresas na decoração, tem alguma dica que queria aplicar no seu próprio negócio? Conta pra gente! Nós queremos saber sobre sua opinião!

Esse artigo foi escrito por Rafaela Ricardo, Criadora de Conteúdo do Soluções Industriais.

Leia mais:

+ Estilos de decoração: qual o mais adequado para sua empresa?

+ Aprenda como criar uma decoração para seu empreendimento

+ Como acertar na decoração de empresas

+ 3 dicas de decoração para o seu escritório

O post Principais erros cometidos ao decorar seu ambiente de trabalho apareceu primeiro em Blog da Lopes.

Espelhos ampliam o ambiente e deixam sua sala mais bonita e sofisticada

Antigamente só se pensava em usar espelhos em ambientes como hall de entrada ou banheiro. Mas, com o tempo, os designers perceberam o quanto estes elementos poderiam enriquecer a decoração de outros espaços da casa. 

Então, este símbolo de beleza, refinamento e bom gosto passou a ser altamente usado também em salas de jantar e de estar, deixando-as mais modernas.

Se você deseja tornar a sua sala mais agradável e confortável suficiente
para receber bem amigos e familiares, saiba que um espelho decorativo pode
ajudar nesta tarefa. Utilize as dicas a seguir e mude, de vez, a decoração do
seu imóvel.

espelho usado na sala de jantar
Foto: Quitete & Faria

Por que usar espelho na sala de jantar?

Só os espelhos e objetos espelhados podem oferecer o incrível efeito de
uma decoração com reflexos. 

Por isto é que eles são considerados elementos super aliados à decoração
– sobretudo de ambientes pequenos, como recurso eficaz para ampliá-los visualmente,
reforçar a sua luz e destacar cantos especiais. Mas esta “mágica” pode se
perder se o projetista de interiores não prever os efeitos.

Não é adequado colocar espelhos de frente um para o outro ou de frente
para janelas com paisagens feias, o que pode estragar a decoração com reflexos
ruins. 

Para evitar erros assim, o ideal é estudar o ambiente e seu possível
layout antes de adicionar à composição itens espelhados. Depois, seria
possível, então, usar tais peças para dar aquele toque de originalidade e de
profundidade em pontos estratégicos da proposta.

uso de espelho para ampliar sala de jantar
Foto: Quitete & Faria

Que espelhos escolher?

Existem muitos modelos diferentes de espelhos à venda no mercado e
muitos deles podem ser a peça-chave de uma decoração sofisticada de sala de
jantar ou de estar. 

Para incrementar uma decoração qualquer, podem-se usar espelhos
decorativos lisos, lapidados ou bisotados – com chanfros entre 0,5 e 3 cm. E
peças assim podem ter espessuras entre 2 e 6 mm e cores como prata, cinza ou
bronze.

Móveis espelhados também é um charme só – para
eles, a espessura do espelho deve ser de 15 mm. Agora, são as chapas para
aplicação sobre paredes que mais se sobressaem em propostas de interiores. E há
inúmeras opções de formatos e molduras para elas. Lembrando que sempre é
possível fazer composições incríveis com peças menores.

mesa de centro espelhada
Foto: Priscila Koch
rack espelhado na sala de estar
Foto: LAM Arquitetura & Interiores

Há espelhos redondos, para propostas românticas e informais; quadrados, para ambientes sóbrios e formais; e irregulares, para composições originais. 

A moldura em torno disto pode ser outro diferencial. Diz-se que existe um tipo de moldura apropriado para cada modelo de decoração com espelhos. Para ambientes clássicos, as molduras rebuscadas e com arabescos; minimalistas, as finas e retas; e rústicos, as em madeira.

Dicas de como usar
espelhos na decoração

A adição de espelho em decorações de salas pode
começar com uma peça pequena. Mas itens assim só servem para serem coadjuvantes
em uma composição muito mais cheia de detalhes surpreendentes, completando de
forma discreta o cenário. 

Já espelhos médios e grandes podem tomar uma
posição de maior destaque nas decorações, tornando o visual dos ambientes mais
elegante, amplo e iluminado.

espelho na sala
Foto: Glaucio Gonçalves

Em casos especiais, o designer de interiores pode ousar propondo para um determinado ambiente a cobertura de toda uma parede com espelho. 

Ou, então, a combinação de várias peças – de
formatos, molduras ou cortes diferentes – para certa área. E a utilização de
móveis com fundos ou coberturas espelhadas. Isto faria a casa decorada parecer
ainda mais charmosa.

aplicação espelho em toda a parede
Foto: Bianka Mugnatto
painel de tv espelhado
Foto: Zark Studio Lab – Serviços Ltd Zark

Agora, antes de prever qualquer uma destas soluções é preciso estar atento à todos os aspectos de arquitetura e design do imóvel. 

Depois de estudar tudo isto com atenção, será
possível entender quais os reflexos que se poderia gerar com a utilização de
espelhos ou objetos espelhados em uma sala de jantar e de estar, por
exemplo. 

“Em paredes inteiras, em faixas nos cantos, ultrapassando a área de bancada (…), em móveis (…). Enfim, o uso desse recurso é bastante diversificado.”

“Podem ser usados tanto no mobiliário como em uma mesa de centro (…). Já em um espaço mais reduzido eles vêm com a finalidade de ampliar e trazer a sensação de que o ambiente tem literalmente o dobro do espaço. Eles fazem uma espécie de ilusão de ótica, ampliando e integrando os espaços.”

– os designers de interiores Sigrid Gabel e Larissa Leão, em reportagem
de Estado de Minas.

E aí? Depois de todas essas dicas, já decidiu onde vai colocar espelhos
em sua casa?

Essas incríveis dicas de como utilizar um espelho na decoração foram criadas pela equipe Viva Decora.

O post Espelhos ampliam o ambiente e deixam sua sala mais bonita e sofisticada apareceu primeiro em Blog da Lopes.

Dúvidas sobre decorar uma casa pequena

Se você está lendo esse post, então provavelmente quer saber
como é possível não ter nenhuma complicações para ter uma casa bonita,
sofisticada e nas medidas certas, não é mesmo?

Afinal de contas, é realmente possível decorar uma casa
pequena com meus próprios gostos e estilos?

A resposta que temos para te dar é sim! Há milhares de
maneiras diferentes de decorar uma casa, e tudo isso vai depender do seu gosto
e da personalidade que você queira transmitir para seus visitantes.

Além disso, é claro que você também quer que o ambiente
fique bem confortável e a casa não tenha móveis e objetos que não simpatizam
entre si.

No entanto, há uma série de dúvidas na hora de decorar a
casa. E procurando responder todas as dúvidas, nós elaboramos esse post para te
ajudar a transformar a casa no ambiente dos seus sonhos!

Não deixe de ler esse post e saiba o que fazer e como é
possível fazer com que haja elegância, sofisticação e comodidade em um ambiente
pequeno! Vamos nessa?

1- Espelho nunca é demais?

Dúvidas sobre decorar uma casa pequena
Foto: Marine Vidros

A primeira coisa que sempre ouvimos quando o assunto é
decoração em espaços pequenos é sobre o uso de espelhos.

Essa dica se tornou tão popular que acabou até mesmo se
tornando uma questão de prioridade entre muitas casas, apartamentos e até
estabelecimentos ao redor do mundo.

No entanto, é importante enfatizarmos que o uso excessivo de
espelhos pode até mesmo ser prejudicial e confundir a circulação de um
visitante, por exemplo.

É claro que, posicionando alguns espelhos em locais mais
estratégicos, você pode conseguir um ótimo resultado e acabar ampliando ainda
mais o seu ambiente.

Não exagere, os espelhos também possuem como função principal refletir as pessoas e objetos, então você até mesmo acabar se assustando em algumas ocasiões!

Além disso, o ideal é deixar espelhos onde não há muita
circulação de pessoas, para que também não aconteça nenhum imprevisto ou
acidentes.

2- Iluminação, como acertar?

Dúvidas sobre decorar uma casa pequena
Foto: Pinterest

A iluminação também é uma questão muito discutida entre as
casas de todo o mundo. Afinal, um ambiente com uma iluminação em excesso pode
causar danos a visão dos moradores, além de também fazer com que o ambiente não
seja tão confortável quanto parece.

Além disso, ao contrário de um ambiente muito iluminado, um
local sem iluminação também deixa os moradores com dificuldades de achar os
objetos dentro de casa, além de também fazer com que o ambiente não tenha um
visual tão sofisticado.

Por isso, o que se deve fazer é apostar em lustres com uma
boa qualidade e testar a iluminação. A quantidade ideal é aquela que não seja
muito forte, mas que também não impeça você e seus familiares de realizar suas
atividades de trabalho e lazer.

3- Móveis, devo sofrer com isso?

Dúvidas sobre decorar uma casa pequena
Foto: Pinterest

A próxima dúvida também é muito comum: quantos móveis eu
preciso ter dentro de um cômodo, para ficar harmonizante com um espaço pequeno?

Bom, a quantidade de móveis depende muito do cômodo. Em uma
cozinha, por exemplo, a quantidade é sempre maior do que em um banheiro.

No entanto, há uma regra clara sobre quantos móveis colocar
dentro um espaço pequeno: tenha poucos móveis grandes e extravagantes, ou muito
móveis pequenos e confortáveis.

Ou seja, não adianta escolher muitos móveis, se eles já são
grandes e ocupam uma boa quantia do espaço, muito menos escolher móveis
pequenos que também fazem falta para o ambiente.

A dica é achar o equilíbrio ideal entre o tamanho e
quantidade dos móveis. Uma das maneiras mais simples de fazer isso é projetando
o seu próprio cômodo, ou seja, um cômodo planejado!

4- E qual estilo do móvel seguir?

Dúvidas sobre decorar uma casa pequena
Foto: Pinterest

Se você está com medo de apostar em um ítem grande e que não
faz parte do seu estilo, o nosso conselho de ouro é investir em móveis retos e
planejados.

O visual reto, em forma de triângulo ou quadrado deixa
qualquer ambiente com mais harmonia, além de também ser uma tendência moderna
nos dias de hoje.

Além disso, não se esqueça que os móveis e objetos precisam
ser funcionais. Ou seja, eles precisa ter uma boa funcionalidade em não se
desorganizar fácil, e ainda auxiliá-lo em alguma tarefa.

Um exemplo de item funcional é o dômus para
telhado
, que é uma janela instalada em seu telhado para deixar o
ambiente mais arejado e refrescante.

Outro estilo certeiro de objetos para espaços pequenos são
os itens transparentes. Cadeiras, lustres e quadros, além de ficarem um charme
em qualquer ambiente, também deixam o local mais limpo e amplo.

5- Estilo Clean nunca é demais

Dúvidas sobre decorar uma casa pequena
Foto: Minha Casa

Agora, se o seu objetivo é ampliar ainda mais o ambiente da
sua casa, ter um estilo Clean é uma é uma opção perfeita!

A decoração Clean preza por um ambiente totalmente leve,
funcional e arejado. Nela, é utilizado apenas os itens necessários. Ou seja,
sem decoração ou pinturas em excesso.

É claro, você pode adicionar cores e itens decorativos, como
a grama sintética
decorativa
, por exemplo. No entanto, faça isso da maneira mais
sutil possível.

No estilo Clean, é ideal que as paredes sejam claras ou em
tons pastéis, e os móveis e objetos promovam funcionalidade para a casa.

Assim, você não precisa ter preocupações em organizar uma
casa tão detalhada e ainda promove mais conforto!

6- Também não se esqueça da sua segurança

Mesmo com o foco do assunto sendo decoração, também é
essencial falarmos que a segurança deve vir em primeiro lugar em todas as
ocasiões.

Por isso, não deixe de também colocar na sua lista de planos
a Instalação câmera de segurança, por exemplo, que permite mais segurança para
você e os moradores de casa.

Afinal, não adianta ter investimentos expressivos em sua
residência, se ela não possui segurança necessária para receber essas
transformações!

Agora que você já sabe tudo sobre como decorar uma casa
pequena, o que acha de aplicar essas dicas e obter sucesso em sua decoração?

Esse artigo foi escrito por Rafaela Ricardo, Criadora de Conteúdo do Soluções Industriais.

O post Dúvidas sobre decorar uma casa pequena apareceu primeiro em Blog da Lopes.

Branco e madeira na sala de jantar: um toque de classe e modernidade

Como você imagina que deva ser a decoração de uma sala de jantar? Elegante? Sofisticada? Confortável? 

Sim, a sala de sua casa poder ser tudo isto e mais, basta acertar nas
cores, nos ornamentos e nos móveis escolhidos. Sabe uma combinação que se
adequaria bem a quase todos os estilos de salas? Branco e madeira. 

Veja como explorar essa dupla em sua sala de jantar.

sala de jantar com mistura de branco e madeira
Fonte: Shiroma e Montemór Colab Decor

Surpreenda-se com uma decoração neutra na sala de jantar

Decorações neutras combinam com tudo. É muito difícil errar no design de
interiores de uma casa seguindo esta ideia, não importa o estilo – clássico,
moderno, retrô, vintage e mais. 

E mais, diferente do que muita gente pensa, uma sala de jantar com estas características pode ser bastante interessante. Justamente por não ser tão agressiva ao olhar, pode agradar muito mais pessoas, mesmo que de gostos diferentes.

Há muitas outras vantagens também numa sala de jantar com decoração neutra. Pra começar, ela pode sofrer manutenção mais facilmente – e a um custo menor, e sempre que houver uma situação especial, como numa festividade, poderá receber complementos de todas as cores e ter a sua estética totalmente renovada. Já em outra data, ela poderá ganhar um novo visual.

decoração sofisticada de sala de jantar branca
Fonte: Patricia Martinez
duas opções de decoração com branco e madeira
Fonte: Andréa Barroso e MeyerCortez Arquitetura e Design

Os segredos do branco e madeira na decoração

Você já deve saber que o branco é a união de todas as cores. Sendo
assim, em tese, esta cor pode emanar energias muito positivas para os
ambientes. Uma sala de jantar pintada assim deve apresentar uma atmosfera mais
serena e tranquila. 

Ela também parecerá bastante clara. E, à noite, quando as luminárias estiverem ligadas, os fachos de luz serão mais bem rebatidos, ou seja, não precisará de tantas lâmpadas para iluminar bem o local.

sala de jantar branca
Fonte: A.M Studio Arquitetura

A vantagem de se ter uma sala de jantar mais clara é poder ver melhor os pratos de comidas dispostos sobre a mesa, tornando qualquer refeição muito bem proveitosa. 

Fora que isto deixaria também as pessoas à mesa mais despertas, dispostas à conversação. Mas pequenos toques de madeira no cenário deixaria a decoração da sala mais agradável, tornando o cenário mais “aquecido”.

De fato, a madeira possui muitas boas qualidades. Ela é um material que
não só torna os ambientes da casa mais agradáveis como também bonitos. 

Quando deixada ao natural, sem pintura, é capaz de ficar ainda mais interessante. Seus tons e os desenhos de seus veios podem ser muito bem explorados no design.

mesa de jantar com cadeiras de madeira
Fonte: A.M Studio Arquitetura

Como utilizar a
combinação branco e madeira em sua sala

A cor branca é bastante válida para ser utilizada em muitos detalhes das
decorações de salas de jantar. Ela pode aparecer em forros e paredes. 

Contudo, em outros casos, ela não é indicada, como em tapetes e revestimentos de assentos de cadeiras – sendo melhor a cor creme. Agora, um local que esta cor fica bem é nos tampos de mesa de jantar – talvez como parte do processo de pátina ou laqueação da mesma.

mesa de jantar com tampo branco
Fonte: Zark Studio Lab

Já a madeira pode aparecer em mais pontos diferentes de projetos de sala de jantar. A começar, em revestimentos de piso – tipo tabuão ou laminado – e parede – em formato de painel. 

Em alguns casos, o forro pode ser marcado por estruturas em madeira, como nas vigas ou treliças. E até mesmo vários acessórios de iluminação e ornamentação da sala podem ser feitos de madeira também.

móveis de madeira na decoração de sala de jantar
Fonte: MeyerCortez Arquitetura & Design

Mas é claro que não poderíamos terminar este texto sem falar dos móveis de madeira. Nas decorações de sala de jantar, eles são protagonistas. 

Suas estruturas podem ser toda em madeira ou apresentar apenas partes em madeira. Pode-se também utilizar um conjunto de mesa e cadeiras num só tom. Só que o interessante mesmo é provocar o contraste entre as peças.

mesa de jantar de madeira em ambiente clean
Fonte: INÁ Arquitetura
mesa de jantar de madeira em decoração contemporânea
Fonte: Caroline Gabriades

As variações do branco e madeira na sala de jantar são inúmeros, por isso, aposte em seu bom gosto e renove este ambiente de sua casa.

Essas dicas de decoração foram criadas pela equipe Viva Decora.

O post Branco e madeira na sala de jantar: um toque de classe e modernidade apareceu primeiro em Blog da Lopes.

Morar em casa ou apartamento? Conheça os prós e contras

Quem está planejando a compra do imóvel sabe que uma das primeiras decisões será entre morar em casa ou apartamento. Cada tipo de moradia tem suas particularidades que satisfazem a necessidade de diferentes perfis.

Por isso, separamos os prós e contras de morar em casa ou apartamento para te ajudar a fazer a melhor escolha.

Morar em casa

porta de entrada de casa

Conheça os aspectos a serem considerados ao optar por morar em uma casa.

Vantagens de morar em casa

1. Mais espaço para morar com conforto

Normalmente quem opta por uma casa consegue maior espaço, principalmente no caso das térreas ou assobradadas, que contam com metragem generosa e cômodos espaçosos. 

A casa também é uma opção interessante para quem gosta de receber visitas e fazer confraternizações nos feriados e datas especiais, como aniversários e o Natal.

2. Sem taxas extras para pagar

As casas comuns, que ficam fora dos condomínios, não têm a necessidade de pagamento de taxas de manutenção, e por isso é vantajosa pela economia de uma conta a menos no final do mês. O pagamento obrigatório está nos impostos públicos relacionados ao imóvel.

Em contrapartida, lembre que as melhorias que você desejar fazer serão custeadas apenas por você.

3. Maior liberdade

Ao contrário do que acontece em condomínios, os moradores de casas têm a liberdade para estabelecer as próprias regras de convivência, sem precisar de consenso coletivo ou votação em assembleia para tomar decisões. Consequentemente, é possível desfrutar de uma maior privacidade já que o morador escolhe quem pode ou não entrar em sua moradia.

4. Mais flexibilidade para reformas

Outra vantagem é ter autonomia para decidir quando irá fazer reformas e reparos, sem precisar pedir permissões. Assim, o morador consegue se planejar melhor e encaixar as obras no seu orçamento.

Neste pensamento, é possível ampliar cômodos, construir quartos, implantar opções de lazer para os filhos, e muitas outras.

5. Condições para ter animais de estimação

Embora alguns apartamentos permitam que os moradores tenham animais, normalmente é mais simples criar animais em casas por conta do maior espaço e liberdade para brincar, causando menos incômodo aos vizinhos. 

6. Barulho e privacidade

Quem mora em casa também tem mais flexibilidade nos horários que pode fazer barulho, já que as construções são independentes. É claro que é preciso ter bom senso e não extrapolar com festas e música alta, caso contrário você pode atrapalhar o sossego da vizinhança.

Desvantagens de morar em casa

1. Segurança

Diferente dos apartamentos e condomínios horizontais, as casas normalmente não contam com portarias e segurança, além de estarem em regiões menos movimentadas. Se o morador viaja muito ou passa a maior parte do dia fora de casa, a residência pode estar vulnerável a invasões e roubos. 

Uma forma de reduzir os riscos é a instalação de câmeras de segurança, alarmes e cerca elétrica.

2. Gastos extras

Proprietários de casas também precisam se responsabilizar pelas manutenções, o que pode vir a gerar custos inesperados. Por isso, uma reserva financeira para tais eventualidades é importante para estar preparado para resolver problemas quando surgem, ao invés de postergar reparos.

Morar em apartamento

Saiba os aspectos positivos e negativos envolvidos na escolha de quem compra um apartamento: 

Vantagens de morar em apartamento

1. Maior segurança

A segurança é uma das maiores preocupações de brasileiros, principalmente aqueles que ficam muito tempo fora de casa ou moram sozinhos. Contar com portaria monitorada e controle de acesso é um vantagem de quem opta por morar em apartamentos em condomínios fechados.

2. Localização privilegiada

Com o crescimento das cidades, o setor imobiliário têm incorporado terrenos localizados em regiões atrativas, como próximos aos centros ou com grande movimentação, com a finalidade de construir modernos condomínios e ofertar mais moradias. 

Por esse motivo, existe uma grande oferta de condomínios de apartamentos cercados por comércios, serviços e transporte público. 

3. Mais opções de lazer

Moradores que buscam opções de lazer e diversão podem ficar mais satisfeitos com apartamentos, já que costumam contar com piscina, churrasqueira, playground e espaço gourmet para receber amigos e fazer comemorações. Além disso, para quem tem filhos, é um lugar mais seguro e que facilita a socialização com as demais crianças do condomínio. 

4. Menos preocupações com manutenção

Outra vantagem de ter um apartamento é ter menos preocupações com manutenções. Como existe a taxa de condomínio, o morador sabe que possíveis problemas serão resolvidos pelo síndico, como o abastecimento de água, energia, pintura, elevadores e outros equipamentos. 

Desvantagens de morar em apartamento

1. Regras de convivência

As regras do condomínio representam uma via de mão dupla: por um lado, garantem os direitos e deveres dos moradores para uma boa convivência; por outro, podem não agradar o estilo de vida de alguns. Reformas e obras precisam passar por aprovação e algumas alterações podem ser até proibidas aos moradores. Sendo assim, quem compra um apartamento precisa estar informado sobre o que pode ou não fazer para evitar se frustrar nessas situações. 

2. Menos privacidade e autonomia

Por estar mais próximos, os apartamentos geralmente são divididos por paredes finas, que reduzem a privacidade dos moradores e de suas conversas, brigas e ruídos. No caso de janelas e terraços posicionados de frente para os outros, talvez seja interessante instalar cortinas e persianas. 

3. Espaço menor

De modo geral, apartamentos costumam ter ambientes mais compactos do que os de uma casa, principalmente a área de serviço, o que pode ser um problema para lavar e pendurar as roupas. Quem costuma receber amigos e familiares em casa também pode se sentir incomodado com a falta de espaço.

4. Possível restrição para animais de estimação

Quem já possui animais de estimação precisa, antes de fechar o negócio, saber se o condomínio aceita pets. Além disso, é bom considerar o porte do animal para avaliar se o espaço oferece o conforto necessário para que ele brinque sem causar problema aos vizinhos. 

Algumas raças de cães e gatos vivem bem em casa ou apartamento, e alguns novos condomínios também contam com pet place para os bichinhos. 

Agora que você já sabe as vantagens e desvantagens de morar em casa ou apartamento, pense no seu estilo de vida e nas expectativas para tomar a melhor decisão.

Se tiver alguma dúvida, deixe nos comentários.

Leia também:

+ Como sair do aluguel: 3 erros que podem estar te impedindo

+ Comissão do corretor de imóveis: Tire suas principais dúvidas

+ É vantajoso comprar um imóvel à vista? Tire as suas dúvidas

O post Morar em casa ou apartamento? Conheça os prós e contras apareceu primeiro em Blog da Lopes.

Investir em imóveis: Tudo o que você precisa saber

Dentro de uma ampla classe de ativos para se investir, o imóvel é um dos investimentos mais populares no Brasil, e não é à toa. Durante momentos de turbulências políticas e econômicas, países emergentes como o Brasil costumam sofrer forte volatilidade nas curvas de juros, inflação, câmbio, mercado de capitais e outros tipos de aplicações financeiras. O imóvel, por outro lado, sempre se mostrou um investimento seguro, que permitiu a preservação de capital em momentos de crise e aumento de patrimônio em momentos de crescimento econômico.

De acordo com as recomendações de assessores de investimentos, é preciso inicialmente identificar seu perfil de investidor para depois construir uma carteira de investimento balanceada de acordo com suas necessidades e objetivos. Da mesma maneira, é preciso definir seus objetivos antes de determinar qual tipo de investimento em imóvel é mais adequado para você.

Se o objetivo for para morar no apartamento, os principais critérios que devem ser levados em consideração são: conforto, conveniência e localização que atendam as suas preferências. Optar por morar no imóvel adquirido como investimento não impede que você ganhe com a futura valorização, mas os critérios adotados para tomada de decisão são diferentes se o objetivo do investimento for voltado para aumento de patrimônio através de renda e valorização. 

Neste segundo caso, é importante contar com a ajuda de um especialista do mercado imobiliário, que é capacitado para te ajudar a entender as tendências e expectativa de desenvolvimento futuro das microrregiões, histórico de evolução dos preços e aluguéis e os custos envolvidos para manutenção do investimento.

O que saber antes de investir em imóveis?

Investimento seguro para momentos de incerteza

O investimento em imóvel oferece uma segurança ao capital aplicado como poucos investimentos no mundo. De acordo com Global Wealth Report de 2019 do Credit Suisse, historicamente o investimento em imóvel no Brasil provou ser umas das melhores formas de proteção de patrimônio para os períodos de inflação e incertezas que foram frequentes nos últimos anos.

Assimetria de informação a favor

É importante lembrar que o histórico dos imóveis serem um bom negócio e trazerem uma boa rentabilidade, não é uma garantia para investir em qualquer oportunidade. O mercado imobiliário, assim como outros, é um mercado em que a informação não é perfeita e há pessoas que detém um conhecimento muito profundo do mercado e tem mais facilidade para identificar oportunidades de investimento com possibilidade de ter uma boa valorização ou renda. Por conta disso, é importante ter o auxílio de especialistas no setor, corretores de imóveis ou saber analisar alguns aspectos como:

  • Urbanização: Os bairros com terrenos disponíveis tendem a receber melhorias de infraestrutura e comércio, o que valoriza a região como um todo.
  • Proximidade ao transporte público: Localizações próximas aos transportes públicos tendem ter uma alta demanda para locações e a ser valorizadas ao longo do tempo.
  • Saturação do entorno: Quando o bairro escolhido está cercado por outros já desenvolvidos pode haver uma oportunidade. Muito provavelmente ele será o próximo a ter a expansão do comércio, o que ajuda na valorização
  • Histórico de preço da região: Esteja atento aos preços, é possível encontrar oportunidades mais baratas do que a média transacionada na região. Em momentos de crises e incertezas, essas oportunidades costumam aparecer com mais frequência. Se o preço da região estiver em ascensão, pode ser um bom indicador de crescimento da região.
  • Reputação dos envolvidos: Para ter segurança no investimento e evitar dores de cabeça, procure saber sobre as obras anteriores da incorporadora e construtora responsável se você for comprar o imóvel na planta ou sobre o proprietário se você for comprar um imóvel pronto.

Condições de pagamento são um investimento à parte

Se você for comprar um imóvel na planta, normalmente é possível customizar as condições de pagamento até a entrega da chaves para algo que caiba no seu bolso e esteja de acordo com as políticas do incorporador. Como o incorporador utiliza o dinheiro das unidades para construir o empreendimento, ele naturalmente concede um desconto para as pessoas que anteciparem as parcelas e pagarem à vista. Esse desconto normalmente é concedido sobre uma taxa de desconto ao ano que costuma ser acima da Selic. Em termos práticos, é como se além de comprar um imóvel que pode gerar renda e valorização futura, as condições de pagamento para comprar este imóvel podem funcionar como se fosse uma aplicação do dinheiro a taxas atrativas, principalmente em momentos de baixas taxas de juros como os atuais.

Taxas de juros baixas aumentam a atratividade

Quando a taxas de juros estão baixas, os imóveis passam a ser um investimento atrativo por três motivos:

  • Aumento no poder de compra: Com taxas de juros menores é possível financiar um valor maior do imóvel com a mesma renda. Isto é, seu potencial de compra sobe e você consegue comprar um apartamento de maior valor.
  • Atratividade de financiamento: Com a queda da Selic, as taxas de juros de financiamento imobiliário também acompanham o movimento de queda. Com a queda das taxas de financiamento, muitas pessoas optam por financiar por estarem baratas e também para conseguir atingir o maior potencial de compra.
  • Atratividade de rentabilidade: A queda das taxas de juros também diminuem o custo de oportunidade de investir em imóvel. Investidores passam a ver suas aplicações em renda fixa rendendo menos do que seu dinheiro renderia se fosse investido em imóvel e passam a olhar o imóvel como uma aplicação mais atrativa para gerar renda e valorização do capital 

Os riscos de investir em imóveis

Como todo tipo de investimento, o investimento em imóvel também tem seus riscos:

Riscos de liquidez: 

Em momentos turbulentos e de baixa demanda, se você precisar de dinheiro e tiver que vender um imóvel para ter acesso à ele, talvez tenha que conceder descontos e vender por um valor mais baixo do que conseguiria vender em condições normais de mercado. Por isso é importante sempre manter um bom planejamento financeiro e comprar imóveis bem localizados. Esses imóveis não costumam sofrer com problemas de liquidez, e o planejamento financeiro garante que você proteja seu patrimônio em períodos de estresse. Existem alternativas de contrair empréstimos com garantia, conhecido como home equity, para preservar o valor do imóvel.

Investidores oportunísticos costumam ver o cenário de estresse como uma oportunidade de investimento para comprar imóveis a preços mais baratos do que em condições normais de mercado e podendo contar com a valorização do imóvel na retomada econômica.

Riscos de custo de oportunidade:

Em momentos de taxas de juros altas, a rentabilidade de imóveis pode ficar abaixo do que você teria em outros tipos de aplicações de renda fixa e ou outras aplicações de maior risco. Dessa maneira, apesar de você poder ter um rendimento e valorização do imóvel no período, ele pode ser menor do que se tivesse investido seu dinheiro em outras modalidades de investimento.

Por outro lado, em momentos de taxas de juros baixas, a rentabilidade de investimento em imóveis costuma ficar acima de outros tipos de aplicações. Com a Selic em sua mínima histórica de 3,75%, o imóvel passa a ser uma opção segura para entregar mais rentabilidade e valorização patrimonial ao investidor.

O mercado imobiliário e o contexto atual oferecem boas oportunidades aos investidores. 

Se você ficou interessado em investir no mercado imobiliário e quer conhecer as opções disponíveis em nosso site, clique aqui.

Leia também:

+ Comprar imóvel para o filho: o que é importante considerar?

+ Os melhores bairros para investir em imóveis em São Paulo

+ O que é a taxa Selic e como ela influencia o financiamento de imóveis?

O post Investir em imóveis: Tudo o que você precisa saber apareceu primeiro em Blog da Lopes.

Saiba como promover a acessibilidade na sua casa

Debater sobre acessibilidade é fundamental em todas as questões sociais. Afinal, de acordo com o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), 23,9% da população brasileira têm algum tipo de deficiência.

Essa parcela da população apresenta deficiência múltipla, mental, visual, auditiva, física e, ainda, mobilidade reduzida.

Por isso, garantir a acessibilidade das pessoas vai além de promover a inclusão social. No Brasil é determinado por lei que estabelecimentos comerciais e espaços urbanos adotem medidas para a acessibilidade.

Porém, o que muita gente não sabe, é que é possível adotar o conceito de acessibilidade dentro de casa, criando espaços que garantem o acesso das pessoas, assegurando o conforto e a autonomia para essa parcela da população.

Pensando nisso, separamos algumas dicas para você tornar a sua casa em um ambiente acessível. Ficou curioso? Acompanhe!

O que é acessibilidade?

A acessibilidade é o direito que proporciona garantia a pessoa com deficiência ou mobilidade reduzida viver de forma independente e exercer o seu papel de cidadão no contexto social; contribuindo significativamente para a qualidade de vida desse indivíduo.

Por isso, deve ser adotada nos espaços físicos, no transporte, nos canais de comunicação e nos meios digitais, bem como em outros serviços urbanos de espaço público.

Ou seja, o termo engloba a concessão de acesso aos bens e serviços para qualquer pessoa, seja ela portadora de alguma deficiência ou não.

Resumidamente, é uma maneira de respeitar as pessoas e garantir a integração delas com o meio físico, independente de suas necessidades especiais.

Afinal, todos devemos seguir os nossos deveres e somos iguais perante a lei, não é mesmo? Podemos mencionar alguns aspectos que a acessibilidade pode ser implementada, são eles:

  • Meios de transporte;
  • Mobiliário urbano;
  • edificações (condomínios, residências, entre outros)
  • Ferramentas de comunicação;
  • Espaços públicos;
  • Indústrias (mesmo com atividades específicas, como para raio e etc).

Além do mais, a acessibilidade deve ser adotada em ambientes privados, como os comércios e as organizações.

Aliás, quem conta com familiar com algum tipo de deficiência em casa, deve tornar o ambiente adaptável para que ele sinta liberdade e seja bem recebido nesse espaço.

5 equipamentos para tornar o ambiente acessível

Como mencionamos anteriormente, proporcionar um ambiente seguro é fundamental para garantir a acessibilidade, certo? Sendo assim, separamos 5 itens para essa finalidade. Veja!

1. Cadeira de rodas motorizada

Conduzir uma pessoa em uma cadeira de rodas tradicional pode ser uma tarefa mais complexa do que parece, devido ao peso e a falta de acessibilidade dos espaços urbanos no país.

Além disso, esse equipamento, na maioria dos casos, desenvolve uma relação de dependência entre a pessoa e o seu cuidador.

Em contrapartida, a cadeira de rodas motorizada é responsável justamente por proporcionar o contrário.

Esses equipamentos apresentam cada vez mais segurança e modernidade, garantindo maior estabilidade e efetividade no manuseio de deficientes e idosos.

Além do mais, estes itens proporcionam um movimento mais dinâmico, a capacidade de mudar de posição quando quiser, realinha a postura e também implicam nas questões fisiológicas e ortopédicas.

2. Assento elevado para vaso sanitário

O banheiro é um dos espaços que mais exige atenção por parte dos moradores. Nesse contexto, esse ambiente necessita de pequenos cuidados para se tornar mais acessível para deficientes, pessoas com mobilidade reduzida e, claro, para os idosos.

Sanitários com assento elevado devem fazer parte de residências particulares e locais públicos, como hospitais, shoppings e restaurantes.

Esse material é muito parecido com os braços de uma cadeira tradicional, porém, conta com uma estrutura de alumínio.

Além de proporcionar mais elevação ao assento, garante mais segurança e acessibilidade ao usuário. Esse material fornece tanta praticidade que pode, inclusive, ser usado em viagens.

3. Assento sanitário elevado

Grande parte das pessoas que sentem dificuldade para levantar e sentar no assento sanitário necessitam de um item que proporcione elevação.

Neste sentido, uma boa dica é optar por um modelo com levantamento lateral para garantir estabilidade e segurança para o usuário.

O assento sanitário elevado é indicado para pessoas que pesem até 100kg e deve ser parafusado junto ao vaso sanitário.

4. Barra de apoio para banheiro

O banheiro é um dos espaços mais utilizados de uma casa, certo? Por isso falamos tanto dele. Afinal, é nesse ambiente que renovamos as energias contraídas no dia a dia.

Sendo assim, o ambiente merece muita atenção nesse aspecto. Como os boxes costumam ser mais escorregadios, os riscos costumam ser maiores.

A probabilidade de quedas de pessoas com mobilidade reduzida pode diminuir drasticamente com a instalação de barras de apoio ou itens circunstanciais, como célula de carga e apoios sequenciais.

Baseadas de acordo com a necessidade, elas podem, inclusive, ser colocadas em outros espaços do banheiro e até mesmo em corredores e demais ambientes.

5. Calçador para meias de compressão

Em sua maioria, pessoas com mobilidade reduzida podem desenvolver uma má circulação sanguínea pela falta de exercícios e atividades correlatas. Com isso, para certas situações problemáticas, as meias de compressão podem ser ótimas aliadas.

Porém, elas são bem apertadas esteticamente, o que pode trazer alguns desafios na sua colocação diária. Isso pode envolver dificuldades para flexionar o tronco ou até se curvar para colocar a meia.

Uma ótima dica para solucionar esse problema é investir no calçador para meias de compressão, um material que possui alças mais longas e é revestido com pigmentos para plástico, reduzindo quase que 100% o esforço para calçar as meias.

Garanta a acessibilidade!

A acessibilidade é um dever para todos os envolvidos no contexto social. Apesar de ser assegurada por lei, muita gente ainda enxerga essa prática como um investimento desnecessário e ineficiente.

Infelizmente, a cada dia, muitas organizações criam barreiras para que ela não seja implementada em locais públicos, privados e particulares.

Por isso, todos nós devemos cobrar os responsáveis sobre a adoção da acessibilidade. Dessa forma, ela pode se tornar uma realidade em muitos ambientes e lugares.

Uma ótima alternativa para proporcionar bem-estar e qualidade de vida é adaptando a nossa casa para receber as pessoas com mobilidade reduzida de forma respeitosa.

Gostou das nossas dicas? Adote na sua casa e conte pra gente como foi essa experiência!

Esse‌ ‌artigo‌ ‌foi‌ ‌escrito‌ ‌por‌ ‌Beatriz‌ ‌Barros,‌ ‌Criadora‌ ‌de‌ ‌Conteúdo‌ ‌do‌ ‌‌Soluções‌ ‌Industriais‌.‌

Leia mais:

+ Investir em imóveis pode ser uma opção segura

+ Imóvel na planta ou pronto para morar. O que é melhor para mim?

+ Morar em casa ou apartamento? Conheça os prós e contras

O post Saiba como promover a acessibilidade na sua casa apareceu primeiro em Blog da Lopes.

Como montar um closet perfeito, igual àqueles que você vê nos programas de decoração

Ao ver os programas de decoração feitos fora do Brasil, é comum ouvir termos como ‘closet’ ou ‘open closet’. Mas você sabe o que isto significa? 

Bem, ‘closet’ seria um espaço fechado
dentro de casa, reservado para se guardar pertences. O ‘armário embutido’
poderia ser um closet, por exemplo. Já o ‘open closet’ é um cômodo separado com
armários para roupas. E como montar um closet como este? Veremos isto a seguir.

closet aberto com sapateira
Foto: Marcelo Rosset Arquitetura

Por que ter um closet?

Tem gente que diria que ter um ambiente exclusivamente destinado para roupas seria um completo luxo. Mas mesmo estas vão perceber, uma hora ou outra, as vantagens dos closets. 

Sendo assim, elas vão buscar mais por imóveis que proporcionem algo
semelhante em sua planta ou soluções de como montar, de forma improvisada, um
closet dentro do quarto.

open closet planejado
Foto: Concept Engenharia + Design: Amanda Pagliarini Macedo

O motivo dessa nova necessidade das pessoas poderia estar relacionado também ao crescimento do poder de compra delas. O closet ajudaria a organizar melhor e de modo conveniente as suas roupas e acessórios, deixando o quarto livre para outros móveis destinados somente ao descanso. Lembrando que mesmo espaços pequenos dentro de casa podem ser transformados ou adaptados como um closet.

Mas é claro que pode haver outras razões para as pessoas desejarem ter um closet. Por exemplo, ter um canto privativo onde podem, sem interrupções da família, montar e testar os seus looks. E um ambiente reservado como o ‘walk-in closet’ seria, portanto, a solução mais perfeita.

closet feminino com móvel para acessórios
Foto: Samia Sarayedine Testa e Patricia Covolo

Como organizar o
espaço do closet?

O design de qualquer closet precisa ser prático e esteticamente
agradável. Ele pode ser montado em uma despensa pequena, num corredor ou até
noutra área livre e sem utilidade da casa. Precisa ter, no mínimo, cerca de 6
m² – sendo desta reservado de 70 a 80 cm para a circulação, mais os 60 cm de
profundidade para o armário, visando conforto e praticidade. Mas tudo vai
depender do que a pessoa necessita.

“Antes de elaborar qualquer móvel é preciso saber o que o cliente pretende guardar e como guardar (no local).” – diz a arquiteta Laurimar Coelho, em reportagem da Revista Zap Imóveis.

Lembrando que a área do closet pode ter uma janela. Isto seria
interessante para evitar uma umidade excessiva no local – algo prejudicial para
a condição das roupas. Mas se os armários ou nichos instalados no local forem
abertos – ou seja, sem portas – as mesmas peças podem ficar expostas demais à
poeira e à luz do sol. O problema pode ser resolvido com partes abertas e áreas
fechadas para roupas mais delicadas.

walk in closet feminino
Foto: Aline Cobra Design e Arquitetura

Ornamentação para
closet

Geralmente, em um closet com pouco espaço para ornamentação, costuma-se
aproveitar ao máximo a área de planta e a verticalidade do ambiente para
armários. 

Só que quando a porta fica aberta para um quarto, pode ser necessário
acrescentar um pouco mais de sofisticação e glamour ao espaço, tornando-o mais
bonito aos olhos. Pequenos detalhes criativos podem ser somados, então, a esta
ambientação.

Um jeito de personalizar decoração do closet é revestir as paredes de
fundo das prateleiras e dos cabideiros com papel de parede. Já sobre o piso,
colocar um tapete e um pufe macio. 

Em certas portas dos armários, folhas de espelhos – o que, aliás, daria
uma maior sensação de amplitude no ambiente. Caixas organizadoras coloridas
dentro dos nichos. E usar e abusar da iluminação artificial. Tudo isto ajudaria
neste sentido.

closet com penteadeira
Foto: Léo Shehtman
otimização de closet em espaços pequenos
Foto: GF Projetos e Danyela Corrêa

Como dividir os armários do closet?

Antes de decidir sobre as divisões do closet, o projetista precisa
analisar as necessidades das pessoas e entender a dinâmica das suas
vidas. 

O espaço do closet do seu cliente precisa ser suficiente para armazenar
tudo que é preciso, entre roupas e acessórios. É a quantidade de peças e o
jeito que os usuários desejam guardá-las que determinará a quantidade e as
medidas de gavetas, prateleiras e mais.

O critério utilizado para separar as coisas dentro do armário é
diferente para cada pessoa – algo que também precisa ser estudado pelo
projetista. 

O fato é que no closet deve haver espaços para calceiros, cabideiros, gaveteiros, nichos, prateleiras, sapateiras e mais. A área superior poderá servir para acomodar as roupas de cama e malas. A inferior, os sapatos. E a central, as camisetas, as calças, os casacos, os vestidos e mais.

armários de roupas vazios no interior do closet
Foto: Concept Engenharia + Design: Amanda Pagliarini Macedo

Quais materiais usar?

Provavelmente, neste caso, uma marcenaria sob medida – talvez em MDF – poderia ser a melhor solução, resolvendo a planta tanto de closets espaçosos quanto de closets pequenos. Suas partes podem ser revestidas de um laminado em cor clara, destacando as roupas. Já as portas – se houver –, preferencialmente de correr e de vidro, revelando o conteúdo dentro do armário de forma discreta.

Claro que se pode pensar em outras soluções mais em conta para preencher
o closet. Por exemplo, utilizar móveis modulados ou mesmo araras independentes.
E qualquer espaço vago dentro do ambiente pode ser preenchido com um móvel
inusitado, acrescentando mais charme à decoração. Por exemplo, uma cômoda ou um
penteadeira mais antiga, feita de madeira maciça e personalizada em cor mais
viva.

Agora, se a ideia é improvisar uma estrutura dentro do quarto como
closet, deve-se prever o material desta divisão espacial também. Uma ideia é
apostar nas divisórias de madeira ou nas divisórias metálicas revestidas com
gesso acartonado. 

Outra solução mais permanente – e que requer análise estrutural do
imóvel – são os tijolos de vidro. 

Ficou com vontade de ter um closet em sua casa? Então, por que não
inicia logo um projeto e realiza esse sonho?

closet aberto de móveis planejados
Foto: Très Arquitetura

Essas dicas de como montar um closet foram criadas pela equipe Viva Decora. 

O post Como montar um closet perfeito, igual àqueles que você vê nos programas de decoração apareceu primeiro em Blog da Lopes.

Como montar e decorar seu escritório em casa

Muita das vezes, ter gastos com a abertura de um espaço
físico e as manutenções diversas podem não trazer tanto retorno para o
empreendedor.

E por essa razão, o escritório enxuto feito na própria casa
pode ser uma opção inicial viável e está se tornando cada vez mais comum.

No entanto, sabemos que construir e decorar um escritório do
zero pode ter algumas limitações. Uma delas é o tamanho do espaço.

Devido a isso, quando pensamos na decoração deste
escritório, o objetivo é deixá-lo o mais prático e funcional possível.

Ou seja, a decoração nesse momento é fundamental para que o
empreendedor consiga realizar suas atividades profissionais com mais conforto e
comodidade!

Se você vende altas quantidades de cesta básica de alimentos, por exemplo,
também é preciso analisar a funcionalidade e o espaço do estoque, para que o
empreendedor possa desenvolver o seu negócio da melhor forma possível.

E pensando nisso, nós elaboramos este conteúdo para te
mostrar quais as formas possíveis de deixar o seu escritório com muito estilo e
profissionalidade! Quer saber mais sobre isso, então continue nos acompanhando!

Faça um cômodo planejado

Muita das vezes, os escritórios em casa são improvisado e
isso pode acabar com todo conforto e ainda deixar o profissional mais confuso
em suas tarefas.

Nessa situação, ter um escritório planejado pode fazer com
que a empreendedor se sinta em um ambiente mais profissional, aumentando a sua
motivação e produtividade.

Especialmente quando o espaço é muito pequeno, a decoração
se torna mais complexa ainda, pois é preciso pensar em fatores como o tamanho e
estilo dos móveis, assim como organizar as melhores prateleiras e armários que
sejam funcionais.

Por isso, se você atua com venda de elevador de escada, por exemplo, o
escritório planejado vale todo o investimento.

O espaço planejado também pode ser feito para armazenar o
estoque e garantir que todos os produtos fiquem em segurança, sem correr o
risco de infiltrações ou alagamentos internos a residências.

Tenha cuidado com as cores, mas não deixe de
fazer o seu estilo

Mais um fator importante é escolher um paleta de cores que
faça parte do estilo da sua residência, porém, que também não atrapalhe a sua
concentração e que seja mais neutro.

Tons extravagantes são bonitos, no entanto, podem deixar o
ambiente mais pesado e menos profissional e limpo.

Por isso, as cores claras ou as que fazem parte dos tons
pastéis e neutros são as mais recomendadas.

Até mesmo investir em Natudrin Funciona ou madeira, que são itens mais modernos, vai deixar o
espaço ainda mais profissional, elegante e sofisticado.

Se você quer fazer um ambiente mais divertido e
descompressor, nesse caso uma dica é apostar em itens decorativos mais
coloridos e harmonizar com os tons das paredes e chão.

Faça um espaço simples e funcional

Não temos dúvidas que o escritório dentro de casa pode
chegar a ser um dos cômodos que mais dão trabalho na hora de limpar.

Afinal, o escritório e até mesmo a área de estoque é onde
possui mais ítens diversos, móveis e objetos.

Nesse caso, para que a organização seja fácil e você não
tenha problemas severos com a limpeza, outra dica é construir um espaço
totalmente simples e funcional, adicionando apenas o que é necessário para
realizar as suas atividades.

Agora que você já sabe como montar e decorar o seu próprio
escritório em sua residência, o que está esperando para economizar e ter um
retorno ainda mais eficiente? Gostou do nosso conteúdo? Conta pra gente!

Esse artigo foi escrito por
Rafaela Ricardo, Criadora de Conteúdo do Soluções
Industriais
.

Leia mais:

Dúvidas
sobre decorar uma casa pequena

Principais
erros cometidos ao decorar seu ambiente de trabalho

Estilos
de decoração: qual o mais adequado para sua empresa?

O post Como montar e decorar seu escritório em casa apareceu primeiro em Blog da Lopes.

Jardim: como usar plantas nas decorações de salas decoradas

As plantas são muito importantes para a sobrevivência do planeta e,
dentro dos lares, podem causar uma verdadeira transformação nos
ambientes. 

Estes seres vivos possuem a incrível capacidade de equilibrar as energias dos espaços e melhorar as condições climáticas nos locais em que estão. Fora isso, elas possuem uma beleza incomparável que só favorecem os cenários de salas decoradas.

Algumas pessoas pensam que apenas pode-se ter verde em casa se houver um
grande quintal disponível. Mas acontece que é possível cultivar certas espécies
de plantas nos interiores das residências também ou mesmo em sacadas e
terraços. 

Então, considerando isso, devem-se ver as plantas também como um item
estratégico e enriquecedor da decoração de ambientes. Vamos às dicas? Por um
lar mais verde e mais perfeito.

vasos de planta na estante da sala
Foto: INÁ Arquitetura

Plantas fazem bem para a saúde

Como dito antes, as plantas são bastante benéficas para a saúde dos
lares e de seus moradores. 

Em tese, elas teriam o poder de deixar os ambientes com uma atmosfera
mais leve e aconchegante, com um ar mais fresco, e, com isto, acalmando os seus
frequentadores. E se as pessoas não têm, no momento, possibilidade de contato
externo com a natureza, esta estratégia, de cultivar espécies dentro de casa,
vem bem a calhar.

ideias de vasos suspensos e cachepots para sala
Foto: INÁ Arquitetura

Mas onde colocar plantas dentro de casa?

É possível montar jardim vivo em muitos tipos de ambientes. Mesmo que o
espaço seja compacto, ainda assim é possível construir um jardim na medida
certa. E os novos projetos de arquitetura e design provam que existem várias
boas soluções neste sentido. 

Então, é possível cultivar plantas dentro de casa, sim. Só é preciso que
a área escolhida apresente as condições mínimas para a saúde e o crescimento
das espécies.

Pode-se criar um jardim dentro da cozinha, na varanda, no banheiro, na
sala e até no home office – que, aliás, pode inspirar o trabalhador em seu
dia-a-dia atribulado. Só não é muito indicado cultivar plantas dentro do
quarto. 

Algumas espécies podem até ajudar no sono das pessoas, mas outras podem
“roubar” oxigênio demais do ambiente – justamente nesta que é uma das áreas de
maior permanência na casa.

Mas plantas devem ser vistas não como inimigas das composições, mas,
pelo contrário, como grandes aliadas, combinando com todos os estilos de
decoração. 

Prova disto é a tendência da “floresta urbana” – ou “urban jungle”, em
inglês -, que consiste em incluir o máximo de natureza dentro de casa. E
lembrando que plantas também podem ser destaque de decorações vintages,
rústicas, minimalistas e mais.

tendência da floresta urbana
Foto: Solange Vale

Sua decoração pode ficar incrível com plantas na sala

Reservar um espaço para a inclusão de plantas na decoração de casa é
sempre uma decisão muito bem acertada. 

É interessante utilizá-las de diferentes modos, explorando as suas cores
e mesclando os seus tipos para criar cantos especiais e bem harmônicos dentro
dos ambientes. Mas é claro que não é preciso transformar a sala, por exemplo,
numa floresta. O certo é usar as plantas nos interiores sempre com bom gosto e
bom senso.

plantas como detalhes na decoração
Foto: Emerson Vasconcelos e MIS Arquitetura e Urbanismo

De um modo geral, podem-se fazer várias composições diferentes e distribuir as plantas de muitos modos nos ambientes da casa. 

Em salas mais amplas, pode-se abusar bastante dos vasos, pedestais e
mais estruturas. Mas em salas pequenas, os móveis devem ocupar a maior parte da
ambientação. 

Então, neste caso, uma opção bacana seria aproveitar esquemas como dos
jardins pendentes ou dos jardins verticais como solução.

vasos de planta suspensos
Foto: GoUp Arquitetura

Salas bem grandes e ou com muitos aparadores e tampos de mesas livres podem ter os espaços vazios da sua decoração preenchidos com plantas. 

Podem-se espalhar vários vasos de plantas na sala com formas aleatórias e materiais, tamanhos e cores diferentes, formando um cenário bem descontraído. Ou colocar vasos iguais, alinhados e em cores neutras, formando um cenário mais organizado e clean. Fica pelo gosto da pessoa.

vasos no aparador e de canto
Foto: Codecorar e Viviane Gobbato

E pra destacar esta beleza das plantas é bom também estudar os panos de fundo dos ambientes. Pode-se montar uma decoração toda em verde – tom sobre tom -, usando as cores das plantas como inspiração. 

Ou pode-se utilizar uma cor neutra, como o branco e o preto, nas paredes
e móveis, destacando as plantas em primeiro plano – o que deixa a sala com
visual bem sofisticado. Por fim, apenas deixar as plantas como coadjuvantes.

mistura de plantas na decoração de interiores
Foto: Fábio Morozini

Podem ser usadas as plantas na sala dentro de vasos ou como arranjos sobre as mesas, estantes, aparadores e racks. 

Banquinhos podem ser usados como pedestal em certos casos. Vasos também
podem ser colocados no chão; sobre os degraus de uma escada que leva a um
segundo andar; nas paredes e até pendurados no teto, em suportes.

mesa de centro com vaso de planta
Foto: Cristina Reinert e MIS Arquitetura e Urbanismo

Plantas indicadas para o interior de residências

Não é qualquer planta que se adapta às condições de dentro de casa. Mas,
em contrapartida, há várias que se adaptam bem em ambientes internos –
inclusive de fácil cultivo, desde que haja boa luminosidade e uma umidade na
dose certa. 

São exemplos: lírio da paz, cróton, cactos, antúrio, palmeira-leque,
palmeira-areca, palmeira-rhapis, samambaia, espada de São Jorge, costela de
Adão, e peperômia.

E aí? Quando vai iniciar seu projeto de um jardim interno? Viu como pode
ficar lindo?

Essas dicas de como usar de forma estratégica as plantas na decoração foram criadas pela equipe Viva Decora.

O post Jardim: como usar plantas nas decorações de salas decoradas apareceu primeiro em Blog da Lopes.